Ludmilla Rossi
Texto porLudmilla Rossi
37 anos - Santos

Mont Saint Michel – Como Ir e O Que Fazer

Mont Saint Michel é uma coisa ou outra: ou você quer ir – ou nunca ouviu falar da cidadela localizada no noroeste da França. Mas, mesmo que Mont Saint Michel não esteja em seu radar, quando você ver a primeira foto da ilha vai dar uma vontade louca de pegar um avião rumo à França.

Porém quando se trata de planos em Euro é sempre bom planejar direitinho. Minha recomendação é que você combine uma viagem para Mont Saint Michel na mesma época em que tiver planos de visitar outras cidades francesas. E se você é da minha turma, Paris é SEMPRE uma boa ideia.

Não ache que é um rolê meio Nárnia. Pode até parecer difícil chegar lá, mas com um pouquinho de planejamento e seguindo as instruções desse post você consegue chegar em Mont Saint Michel sendo um turista independente, ou seja, sem a ajuda de uma agência de viagens (essa opção eu recomendo apenas para quem não fala o mínimo de inglês).

Quem fala ou entende um pouquinho de inglês consegue chegar em Mont Saint Michel de boa. E minha recomendação é que você vá de trem + ônibus, a forma mas rápida de chegar até a ilha. Nesse artigo você vai ver um videozinho rápido onde eu explico sobre como chegar em Mont Saint Michel. Mas antes eu queria contar porque vale ir até lá.

Chegada a Mont Saint Michel

Mont Saint Michel está na divisa entre a Normandia e a Bretanha (falaremos disso um pouco mais pra frente), que são áreas riquíssimas em atrações na França. Mas nenhuma, em termos de fluxo de visitantes ganha do monte. Além de ser considerado desde 1979 Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, a ilha francesa está entre os top 3 pontos turísticos mais visitados da França. São milhões de pessoas por ano, entre turistas e peregrinos, fazendo Mont Saint Michel ser o ponto turístico francês mais visitado fora de Paris.

A fama começa com lenda do o próprio São Miguel Arcanjo “solicitando” a construção de uma pequena igreja no vilarejo, em 708. Em 966 o santuário de São Miguel se tornou um mosteiro para os monges beneditinos. Em 1462 o local funcionou como uma prisão, a mando de Luiz XI, que foi fechada em 1863 por Napoleão III. Durante a Revolução Francesa o monte resistiu bravamente e foi um dos poucos lugares intocados pela destruição. Assim foi apelidado de “a bastilha do mar”.

A magia

Mont Saint Michel é um vilarejo medieval extremamente bem preservado. A cidade é mágica e cheia de contextos religiosos e históricos. No topo há uma abadia e a cidade é cercada por muros, com uma vista incrível. São mais de 1300 anos de história, minha gente. Só isso já é um fato surreal.

As marés sobem e descem muito rapidamente e isso pode totalmente mudar a experiência da viagem. A imensidão da baía é de arrepiar e mexe muito com a gente quando a gente a observa de cima do monte.

Além disso,  é em Mont Saint Michel que você vai comer o omelete mais famoso e tradiça da França, uma receita que é feita por lá há mais de 130 anos.

Como chegar em Mont Saint Michel

No vídeo abaixo eu explico o percurso que fiz para chegar. Não foi cansativo porque para mim viajar de trem é maravilhoso e eu amo.

Meu percurso (fácil, simples e rápido)

  1. Paris (Gare de Monteparnasse) de trem até Rennes (1h e meia)
  2. De Rennes até Mont Saint Michel de ônibus (1h e meia)
  3. Traslado gratuito de ônibus do centro de informações turísticas até a entrada do monte

Preços: em abril de 2018 foram 58 euros para o trem e 10 euros para o ônibus.
Horários do trem: consulte aqui

Informações que podem ajudar

Durante o trecho de ônibus entre Rennes e Mont Saint Michel se prepare para passar por vilarejos fofíssimos.

O centro de informações turísticas também vale ser citado. Super amplo, organizado, com banheiros limpinhos e acessíveis, é um ótimo local para esperar os ônibus que ficam circulando entre aquele ponto e o pé do monte. O ônibus de Rennes até Mont Saint Michel te deixará num ponto a poucos passos desse centro de turismo.

A partir do centro de turismo você terá três opções para chegar até o pé do monte:

  • Ir de shuttle (ônibus gratuito) – em torno de 10 minutos, grátis
  • Ir de maringote para ter uma experiência mais medieval, que é uma espécie de “bonde” puxada por cavalos – em torno de 15 minutos, por aproximadamente 5 euros
  • Ir a pé – em torno de 45 minutos, grátis

Tanto o shuttle como a maringote param um pouquinho antes do pé do morro para que você possa tirar fotos e apreciar toda a beleza da entrada do Mont Saint Michel.

Cidades próximas

Um roteiro alternativo para quem é mais aventureiro é explorar a região da normandia ou da Bretanha de carro. Há cidades maravilhosas por lá, e eu já tive a alegria de visitar duas: Le Havre e Deauville. Na minha wishlist ainda estão Honfleur e Étretat, na Normandia. Perto do monte também fica a região da Bretanha, cidades de Saint Malo, Cancale e Dinan também estão na minha lista.

Aliás, um francês querido (Oi Gautier!) me contou o seguinte: “Hoje em dia, o Mont Saint-Michel é oficialmente propriedade da região normanda, porém nem sempre foi. Na verdade, era da região da Bretanha por mais de 150 anos. Mas depois com a delimitação das duas regiões, a Normandia acabou ficando com o Mont Saint Michel na sua parte. Mas ainda hoje, as pessoas que moram na Bretanha continuam falando que o Mont Saint Michel é “BRETON”. Merci pour votre attention”.

Ou seja, o monte fica entre as duas regiões e você pode aproveitar todas elas se decidir ficar mais tempo por lá.

Outra opção de como chegar

Ir de carro de Paris até a região da Normandia. O itinerário abaixo eu pretendo fazer no futuro durante a primavera e verão, para explorar novas cidades francesas.

  1. Paris > Giverny, (a Casa de Monet) e dormindo um dia na cidade
  2. Giverny > Lisieux, dormindo um dia na cidade
  3. Lisieux > Mont Saint Michel, dormindo um dia na cidade
  4. Mont Saint Michel > Saint Malo, dormindo um dia na cidade
  5. Retorno a Paris no dia seguinte (aproximadamente de 4 a 5 horas de carro)

Outras opções pra quem tem um orçamento generoso em Euro

  1. Depois do Mont Saint Michel esticar ainda mais até Saint Malo, Cancale e Dinan.

A abadia

A abadia (ou mosteiro) é a grande atração da ilha. Com mais de 20 ambientes diferentes, a arquitetura gótica impressiona. O sobe e desce também. Ela é imensa, cheia de detalhes. E a igreja principal impressiona. O antigo ambiente de meditação dos monges também é maravilhoso, com um visual lindo observar.

Dentro da abadia de Mont Saint Michell

Logo ao chegar na abadia é possível ver maquetes que ilustram exatamente cada diferente fase da ilha, até se chegar na construção monumental que é observada hoje.

Sobre a abadia a minha recomendação é que você compre os ingressos com antecedência através do site oficial do Centre des Monuments Nationaux, órgão que administra os grandes monumentos turísticos franceses. Ao final do passeio da abadia, também recomendo que você dê uma olhadinha na loja (adoro lojinhas de museus). Salvo exceções, a curadoria de produtos é bem superior às das lojinhas que ficam na entrada da ilha.

Como recordação, comprei um livro incrível sobre toda a história do monte. É fascinante.

A igrejinha

Além da abadia, há uma pequena igreja muito charmosa no caminho para a abadia. Não deixe de entrar nela!

Hotéis em Mont Saint Michel

Se é sua primeira vez por lá, FIQUE HOSPEDADO DENTRO DA ILHA para ter uma experiência mais roots. Minha experiência no hotel Les Terrasses Poulard foi indescritível de positiva -e se couber no seu budget eu só digo: não abra mão de ficar nesse hotel pelo menos por uma noite, como eu comentei no vídeo. Clique aqui para pesquisar os preços desse hotel.

Vista do Les Terraces Poulard

Meu quarto tinha L-A-R-E-I-R-A e uma janela daquelas de sonho. Ver a lua na frente da janela foi uma das coisas mais lindas e loucas que eu já vivi. Parecia de mentira, hahaha.

Lareira no quarto em Mont Saint Michel

Na caixa abaixo você pode pesquisar outros hotéis em Mont Saint Michel



Booking.com

O café da manhã também foi uma experiência ótima, repleta de queijos normandos, que são uma iguaria exclusiva desse canto do mundo. Sempre que eu como o camembert da normandia eu penso em tatuar “Cheesus Christ rules my life”.

Restaurantes em Mont Saint Michel

O restaurante mais conhecido da ilha, La Mère Poulard, fica logo na chegada. Durante a hora do almoço é bem disputado. No jantar é recomendado chegar cedo, não por conta de lotação, mas porque os estabelecimentos fecham cedinho – principalmente em dias frios e também por conta da maré.

O famoso omelete de Mont Saint Michel

O omelete de lá é MUITO DIFERENTE e vale a experiência única. É um omelete espumado, com sabor extremamente intenso e defumado. Muito comfy food. <3

Também registrei toda a experiência no La Mère Poulard além do omelete. A entrada também era peculiar, com uma espécie de alga que nunca havia comido antes. E a sobremesa foi um creme de baunilha com caramelo amanteigado, outra proeza da normandia que eu amo. Abaixo no slideshow você um pouquinho dessa experiência tão mágica quanto o monte.

la-mere-poulard-cozinha
la-mere-poulard-ambiente
la-mere-poulard-cardapio
la-mere-poulard-entrada-2
la-mere-poulard-entrada
la-mere-poulard-omelete
la-mere-poulard-sobremesa-2
la-mere-poulard-sobremesa-1

La Mère Poulard é uma experiência única e recomendo não sair de Mont Saint Michel sem ir lá experimentar o omelete, a cidra e os biscoitinhos amanteigados.

Sobre os biscoitinhos amanteigados fica uma dica: não compre em Mount Saint Michel para não carregar peso à toa. As latinhas La Mère Poulard são vendidas também no Monoprix em Paris por um precinho levemente mais barato. Dicona pra economizar sua coluna. <3

Os bares e creperias também são ótimos pontos para dar uma paradinha e descansar as pernas depois de subir e descer tantas escadas. Como Mont Saint Michel fica bem entre a Bretanha e a Normandia, você conseguirá experimentar crepes com as duas receitas, que são bem diferentes.

Qual a melhor época para visitar Mont Saint Michel?

A ilha pode ser visitada o ano inteiro. Porém nós sabemos que naturalmente no verão e primavera você encontrará o lugar mais cheio e durante o outono e inverno bem mais vazio. Lembre-se que na frança o mês oficial das férias é agosto, onde muitos franceses saem de Paris para outras cidades e é provável que os preços variem muito nessa época.

Toda a experiência que relato nesse post aconteceu no início do mês de abril, início da primavera – justamente a época onde as marés começam a subir e descer mais rápido. Nessa página há um link para a tábua das marés que eles soltam anualmente.

Decidir a época depende do que você quer, afinal. Se você estiver muito a fim de ver “o poder das marés” use a tábua como sua guia para escolher o dia. No meu caso, eu estava buscando as melhores cotações de hotéis e passagens aéreas para Paris. Em resumo, a melhor época para visitar depende do seu interesse no monte. Meus critérios foram:

Dicas vitais para aproveitar Mont Saint Michel

Esqueça o salto
Ele será o item mais inútil da sua mala.

Leve pouca bagagem
Não existe elevador e você terá que carregar tudo. Prefira mochilas ou malas fáceis de carregar nas mãos.

Leve guarda-chuva ou capa de chuva
Venta muito e por isso chove do nada na normandia. Mesmo que a previsão seja de sol, há chances de chover.

Experimente a cidra normanda
Esqueça a cidra Cereser. Eu até gosto da Cereser, mas cidra normanda é completamente diferente. Há vários barzinhos que servem e prepare-se para beber álcool numa xícara diferente. É assim que a cidra tradicional é servida.

Como é servida a cidra normanda
Agradecimentos
Centre des Monuments Nationaux, Office de Tourisme Mont Saint-Michel – Normandie, Flora Deguete, Christiane Chabes, Les Terraces Poulard e La Mère Poulard.

Mais sobre a normandia

Se você gostou dessa experiência em Mont Saint  Michel, não deixe de conhecer nossas outras experiências na normandia.