Ludmilla Rossi
Texto porLudmilla Rossi
37 anos - Santos

Dicas de Alcatraz em San Francisco

Continuando a série de dicas de San Francisco, vou contar como foi a minha experiência em Alcatraz, a prisão lendária dos Estados Unidos que já foi retratada em filmes e histórias bastante populares. A primeira coisa é que: NÃO, não existem tubarões nadando em círculos como nos desenhos animados.

A ilha é curiosa e o passeio imperdível não apenas pelo conteúdo de Alcatraz, mas também pela paisagem e vista de San Francisco observada da ilhota. Pegamos um dia lindo – muito frio mas com muito sol que tornou a experiência melhor ainda.

Ilha de Alcatraz

Comprei o ingresso com quase dois meses de antecedência no site Alcatraz Island Tickets e imprimi os vouchers na hora da compra. Chegando lá nada de enrosco ou fila, nada disso. Chegamos na hora certa e fomos praticamente os primeiros a entrar no barco.

Importante: é recomendado comprar o ingresso com 30 dias de antecedência.

O barco que leva de San Francisco a Alcatraz parte do Pier 33 e é bastante rápido. Acho que o tempo no barco não demora nem meia horinha e a travessia também é super bacana. Em dias sem neblina dá para ver as pontes perfeitamente. <3

Chegando na ilha existe uma infra-estrutura de banheiros antes mesmo de entrar nos prédios. É importante lembrar que na ilha não existe nenhum serviço de alimentação, somente no barco. Na ilha as únicas bebidas disponíveis para compra são água e café. Já tem que ir preparado ou sem fome nenhuma.

Chegada em Alcatraz

A clássica foto turistão!

Alcatraz é um lugar onde vale a pena fritar a máquina fotográfica. Além de toda a história da ilha o local virou um santuário de gaivotas e pássaros. A ilha é repleta de ninhos e portanto alguns locais são restritos. Mesmo assim as gaivotas dividem espaço com milhares de turistas e você vai observá-las bem de pertinho.

Gaivota em Alcatraz

 O primeiro local que entramos foi um galpão onde estava rolando uma exposição de fotos. Curiosamente nossa visita rolou no dia 21 de março de 2013 – exatamente no dia em que a prisão completou o cinquentenário de seu fechamento. Achei a coincidência o máximo e o clima por lá estava mais animado que o normal.

O filho do fotógrafo Leigh Wiener estava por lá autografando livros fotográficos. O Leigh Wiener foi o fotógrafo que registrou o último dia na prisão e a saída dos prisioneiros no dia 21 de março de 1963. Foi uma feliz coincidência termos comprado os ingressos (sem saber) para esse dia histórico.

Entrando na prisão de Alcatraz

A parte mais marcante do passeio foi entrar no prédio principal da ilha onde os detentos ficavam. A experiência é realmente muito bem projetada: logo na entrada você pega um audioguide (já incluso no passeio) em português com narrações reais dos presos e dos agentes penitenciários. Bem chocante.

 Entrada da prisão de Alcatraz

O legal é que o narrador vai guiando cada passo que você deve dar em tempo real, no timming perfeito. A experiência foi muito enriquecida pelo áudio e as curiosidades contadas.

A frase que me marcou: “Se você não segue as regras, você vai para a prisão. Se você não obedece as regras da prisão, você vai para Alcatraz”. Ui!

Detentos de Alcatraz

Só os “vidaloka” de Alcatraz

A vista interna

“Vamos fugir… desse lugar, baby…”

Durante a narração dá para saber das várias histórias de fuga. A todo instante o narrador reforça sobre a sensação dos presos. Alcatraz fica a mais ou menos 2km de distância de San Francisco. Ao mesmo tempo que é muito perto, uma fuga se torna impossível com o tempo inóspito, o vento cortante e a água com uma temperatura surrealmente gelada. A vista dos detentos para San Francisco era a punição mais cortante: tão perto mas tão longe. Tudo que eles queriam estava ali, ao alcance do olhar – mas nunca ao alcance deles.

Apesar de muitas pessoas relatarem a visita a Alcatraz como deprê, eu não saí de lá com essa sensação. A experiência foi tão bem projetada que eu fiquei mais pensando nisso do que em qualquer outra coisa. Li também que o passeio até a ilha no período da noite é de arrepiar – mas eu fiquei meio comedo de ser creepy demais!

Se você for a San Francisco não deixe de fazer esse passeio. E aproveite e dê uma olhadinha em uma outra dica da cidade sobre atravessar a Golden Gate de bicicleta.

Have a nice trip!