Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

Adoção de pets na quarentena aumenta em 30% – e não faltam motivos

Aos 12 anos, acordar cedo é uma das coisas que Beatriz Lopes detesta.

Com a as aulas paralisadas, a rotina poderia estar como em seus sonhos: sem despertador. Mas a menina abriu mão das horinhas adicionais de sono e, pelo contrário, está saindo ainda mais cedo da cama todos os dias. É que Noah Flynn, a nova integrante felina da família, desperta e vai direto até ela.

Os miados finos da gatinha filhote a fazem levantar da cama e ela não reclama. Afinal, estava há meses negociando com a mãe a adoção de um bichinho. Nessa quarentena, finalmente conseguiu uma companhia pra chamar de sua. E essa não é uma história incomum em Santos, viu?

www.juicysantos.com.br - adoção de animais em santos aumenta durante a quarentenaFotos: Anderson Bianchi/PMS

As adoções de cães e gatos em Santos aumentaram

De acordo com Tatiana Ferreira, mãe da Bia, a adoção da gatinha aconteceu através de um grupo no Facebook. Mas os dados da Codevida comprovam que a galera, de fato, está buscando companhia nesse período de isolamento. Desde que a quarentena começou, 21 animais (cães e gatos filhotes e também adultos) ganharam um novo lar.

O número é 30% superior que o total de adoções feitas no mesmo período do ano passado.

“As adoções intensificaram com a pandemia, principalmente neste mês. As pessoas verbalizam que estão se sentindo sozinhas e, como têm mais tempo para fazer a adaptação do animal, se sentem seguras para adotar nesse período”, diz a coordenadora da Codevida, Leila Abreu.

Na casa de Tatiana, a adoção da Noah foi um misto de tudo isso. Ela conta que a filha já estava há tempos pedindo uma gatinha e ela tinha feito um acordo: se as notas fossem boas e a menina ajudasse em casa, ela faria a adoção em maio – quando Beatriz completa 13 anos.

Acontece que, com a quarentena e todos em casa, a menina perguntava sobre o assunto ao menos cinco vezes ao dia.

“Era o mesmo assunto o dia todo… Vi que ela realmente queria e comecei a procurar”, comenta. “Foi bom, pois a gata é bem filhotinha e não teríamos como deixar ela em casa sozinha”.

www.juicysantos.com.br - adoção de cachorros em santos aumenta durante a quarentena

E uma vida nova surgiu

Assim como Noah, a cadela Betina também ganhou um lar durante a quarentena.

Assim como Bia tem uma nova rotina, Aline Correia e Rafael Augusto, que adoram a vira-lata, transformaram os dias da quarentena. A nova mascote já saiu da Coordenadoria de Proteção da Vida Animal (Codevida) sendo chamada de Costelinha, seu novo nome, e um com vários brinquedos.

“Sempre tive cachorro adotado e há um ano vínhamos olhando os da Codevida e da ONG Viva Bichos nas redes sociais. Levamos Costelinha para casa no último dia 16, dentro do projeto Padrinho de Fim de Semana. No primeiro dia com ela, já tivemos certeza que iríamos adotar”, explica Aline.

Antes disso, porém, o casal precisou passar por uma entrevista – que, neste período de pandemia, está sendo ainda mais rigorosa. Afinal, adotar um animal não é buscar uma “companhia descartável” para o isolamento,

“Não queremos que cães e gatos sejam adotados porque a pessoa está em casa. Portanto, aprofundamos ainda mais a entrevista, porque é muito traumatizante a devolução de um animal”.

De acordo com a coordenadora da Codevida, entre as indagações feitas na entrevista estão:

  • Quantas horas o interessado fica fora de casa;
  • Número de pessoas que moram na residência;
  • Se há condição financeira de deixar o animal em day care, caso seja necessário.

Isso porque uma filhote, por exemplo, não pode ser levado para uma casa onde a família vai ficar fora o dia inteiro. Só para ilustrar a importância dessa regra: a gatinha Noah tem apenas um mês e precisa de atenção especial.

Bia é quem dá o leite pra ela na mamadeira e também está ensinando a gata onde fazer xixi e cocô. Caso estivesse tendo aulas, não teria como cuidar da filhotinha da maneira necessária.

“Também verificamos se a casa é segura e, caso a região em que a pessoa mora tenha grande número de animais abandonados, não doamos. E gatos, só se o apartamento estiver telado”, completa a coordenadora.

Se você estiver pensando em adotar um bichinho, vale dizer que todos os que estão na Codevida são castrados, vacinados e microchipados.

Como adotar um bichinho nessa quarentena em Santos

Vale ter em mente que o COVID-19 não se manifesta em animais, tá? Então pode adotar sem medo nenhum.

Para fazer a adoção por lá, é necessário ir ao local, com máscara de proteção no rosto, de segunda a sexta-feira. O atendimento acontece das 13 às 15 horas. Por conta da atual situação, a orientação do órgão é que, no máximo, duas pessoas da família se desloquem até lá.

A Codevida fica na Av. Francisco Manoel, sem número, no Jabaquara. Atualmente, cerca de 120 cães e gatos estão esperando lá, à procura de uma família para chamar de sua.

Cuidados com os animais neste período

Quem adota um bichinho precisa, antes de mais nada, adaptar a rotina.

No caso da Beatriz, isso significou acordar mais cedo. Já os tutores da Costelinha precisaram comprar brinquedos para a cadela. Acontece que, por conta da quarentena, os passeios precisam ser evitados.

Mas então como eu faço para o bichinho gastar energia, Juicy?

De acordo com o pessoal da Codevida, o ideal é exercitar os animais em casa mesmo. Você pode, por exemplo:

  • Criar circuitos para eles brincarem no corredor de casa – use itens do dia-a-dia para dificultar a rota;
  • Fazer treinamentos e ensinar novos comandos;
  • Ofereça ossos ou mordedores para eles roerem;

Caso ainda assim você sinta que é necessário sair para caminhar, busque horários alternativos (bem cedo de manhã ou tarde da noite) e vá aos locais onde há menor aglomeração. Além disso, assim que chegar em casa, higienize as patinhas do seu novo companheiro – assim como você faz com o sapato.

Aqui tem algumas dicas que o Juicy Santos preparou para uma quarentena tranquila em casa com seu pet.