Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Doenças cardíacas em pets: quais são os sinais e como cuidar

  • 20
    Shares

De acordo com estudos, doenças cardíacas em pets são o motivo de boa parte dos atendimentos em clínicas veterinárias. Por isso, se atentar aos sinais que seu cão ou gato dá é super importante para não ter nenhuma surpresa nesse sentido.

Também é de conhecimento na comunidade científica que os problemas cardiovasculares aparecem com mais frequência em bichinhos idosos. Mas, isso não significa que podem acontecer nos mais novos- seja de forma intensa ou não. Em outras palavras: é importante ficar de olho sempre.

Primeiramente, você sabe como detectar doenças cardíacas em pets ou como evitá-las?

Doenças cardíacas em pets

www.juicysantos.com.br - Doenças cardíacas em petsImagem: Rob Wingate para Unsplash

Provavelmente, a sua resposta foi não. Pensando nisso, o Juicy Santos trouxe algumas dicas dos profissionais da Petz que vão te ajudar. Primeiramente, fique atento a comportamentos como, por exemplo:

  • Intolerância aos exercícios cotidianos;
  • Tosse;
  • Cansaço fácil;
  • Desconforto em algumas posições;
  • Cianose (coloração arroxeada da língua).

De acordo com os especialistas, todos eles podem ter ligação com algum problema cardíaco. Nestes casos, é indicado procurar um profissional da sua confiança para verificar se está tudo sob controle. Mas, não precisa entrar em pânico, pois todas as doenças podem ser controladas, como explica a veterinária Michelle Caroline Claviço.

“Todas as doenças podem ser controladas com medicação, retardando sua evolução e trazendo qualidade de vida aos bichinhos de estimação, desde que diagnosticadas no início”.

Ainda segundo ela, o ideal é que os tutores levem seus bichinhos para check-up de seis em seis meses. Assim, é possível conseguir um diagnóstico precoce ou até prevenir problemas futuros.

Pra quem resgarou um pet da rua, estes são os primeiros cuidados necessários

Doenças cardíacas mais comuns em pets

A cardiopatia mais comum em cães se chama endocardiose, ou seja, estamos falando das alterações que atingem as válvulas do coração e fazem com que ele não bombeie corretamente o sangue. Esse tipo de doença afeta principalmente os cães de porte pequeno, como poodle, teckel e cavalier, por exemplo. Já raças como cocker, boxer e terra nova são mais propensas à cardiomiopatia dilatada, uma dilatação do ventrículo por uma alteração do músculo cardíaco.

Já em gatos, a mais comum é a cardiomiopatia hipertrófica, causada também por uma alteração do músculo cardíaco. O problema pode provocar trombose, embolia e morte súbita.

Tutores também precisam ficar atentos ao colesterol nos pets. Aqui, citamos algns cuidados para evitar o problema e viver em paz com seu bichinho.

Tratamento de doenças cardíacas em pets

O tratamento é feito à base de medicamentos e busca prolongar a vida do cão ou do gato. A orientação para esses pets é não fazer exercícios bruscos, manter o ambiente arejado para evitar hipertermia (o que pode piorar a condição cardíaca), fazer exames esporádicos e, como já falamos, realizar o check-up com o veterinário de seis em seis meses.