Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 23 anos - Santos

Conheça Angel, nova integrante da Pet Terapia no Memorial

Silêncio, melancolia e olhares perdidos – comuns em um momento de luto – são deixados de lado, assim que as pequeninas patas peludas adentram a sala de velório.

Os passos são cautelosos e acompanham a respiração calma, uma roupa de cor clara e estampa de nuvens, crachá de identificação e a língua de fora.

Parece que, de alguma forma Angel, uma schnauzer de apenas cinco meses, sabe exatamente como lidar com essa situação.

Recém-chegada à pet terapia, a anjinha de quatro patas tem a tarefa de substituir Freud (que faleceu em setembro de 2016) e levar conforto as cerimônias fúnebres que acontecem na Memorial Necrópole Ecumênica.

“Quando o Sr. Pepe me convidou para eu fazer o trabalho aqui, eu fiquei apreensiva, nenhum cemitério do mundo fazia algo do tipo, não existia referência. Mas eu tinha um cão muito especial. O Freud chegou e me ensinou como fazer”, lembra Victoria Girardelli, idealizadora do Dr. AuAu.

Angel (6)

Sua substituta, em fase de treinamento, ainda usa coleira ou fica no colo na maior parte do tempo. Mesmo assim, mostra a habilidade de arrancar sorrisos: de tempos em tempos. bebe água em um copo descartável, passeia livre na área externa e no corredor de entrada, para sempre que percebe os olhares curiosos e não perde tempo se percebe a oportunidade de brincar.

Em pouco mais de quatro visitas realizadas, Angel já aprendeu que tem cartões em seu bolso – eles carregam frases de conforto – e sabe fazer um charme durante as entregas.

Stefania Maciel, por exemplo, precisou brincar para conseguir pegar o cartão que a cadelinha entregou com a boca. Com a família do Thiago Moreno, foi diferente: toda a atenção foi voltada para o caçula da família, que parecia não entender a situação.

Angel (4)

Visita após visita, ela transforma a dor em um momento de amor.

Depois, segue com o rabinho abanando para quebrar outros silêncios e consolar olhares melancólicos que ganham um novo brilho assim que ela aparece.

Dr. Au Au

O trabalho de pet terapia realizado pela Dr. Au Au existe há 12 anos, sob o comando da Victoria Girardelli – a segunda profissional no Brasil a fazer interação assistida por animais.

Além da Memorial Necrópole Ecumênica, os cãezinhos também trabalham no Hospital Guilherme Álvaro e outras instituições. Junto com Angel, fazem parte do projeto Jung e Teddy, que são filhos do famoso Freud.

Angel (1)

O foco do trabalho é oferecer bem-estar por meio das interações homem-animal.

Nas visitas em hospitais, é comum que pacientes que não querem andar o façam, para brincar com os bichos. No caso de velórios, existem algumas endorfinas e hormônios liberados pelo nosso organismo que proporcionam conforto e tranquilidade.

Segundo Victoria, em ambos os casos, a aceitação é mais que 100% e Angel tem executado o trabalho com maestria.

Você pode acompanhar o projeto e as aventuras de Angel no Facebook.