Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 25 anos - Santos

AIDS felina (FIV) – você conhece o problema?

Seu gatinho está ficando doente com mais facilidade?

Febres e infecções se tornaram rotineiras?

O veterinário já falou sobre a possibilidade de ele ter AIDS felina?

gatoImagem: Dariusz Sankowski

Apesar de pouco conhecida, a doença – que, tecnicamente, é chamada de FIV – é bastante comum nos felinos, principalmente nos bichanos que tem maior contato com a rua. Por isso, um grupo de futuros veterinários, da Unimonte, decidiu estudar o tema.

O trabalho, apresentado durante a ExpoVet – Feira de Veterinária, foi desenvolvido por Gisele Morais, Leticia França e Mauricio Souza, do terceiro período.

“Fizemos um estudo prático divido em três eixos. Primeiro, buscamos conhecimento científico relacionado ao assunto. Em seguida, demos início ao eixo social, em que fomos a um bairro carente da cidade fazer o exame e, por fim, pudemos aprender, na prática, o que até então era visto na teoria”, explicam.

gatoImagem: gato infectado/Divulgação

O bairro santista escolhido pelo grupo foi o Jardim São Manoel.

“Há um pensamento teórico de que em regiões com mais acesso à rua há uma maior prevalência do problema”, justificam a escolha.

Leia também:
Gatolino: para os caiçaras que amam felinos
Veterinário 24 horas em Santos
Diabetes em cães e gatos

Falta de conhecimento

Durante a pesquisa, 37 animais foram examinados. Segundo os estudantes, as perguntas mais frequentes eram: a AIDS felina pode ser passada para humanos? Se o meu gatinho estiver infectado, vocês vão sacrificar?

A resposta para as duas perguntas é NÃO!

A FIV é passada apenas entre felinos (normalmente em mordidas) e, apesar não haver tratamento, não é necessário sacrificar o animal. Assim como nos humanos, a doença o deixa mais suscetível a doenças inflamatórias.

É importante saber da existência da patologia quando você já tem um gato e decide agregar mais um à família. Para isso, é preciso leva-lo a um veterinário especializado em felinos ou pedir o exame, caso seja um clínico geral.

“O melhor método de prevenção é a castração. Assim você evita que o gato se envolva em brigas de rua”, finalizam.

Vet Adventure

Outros trabalhos legais foram apresentados durante a feira de veterinária da instituição, como um canal no YouTube que mostra o dia-a-dia de veterinários e as várias possibilidades de trabalho.

O Vet Adventure, desenvolvido por Thalita Melo, Mariana da Costa, Rafael Orifice e Renato dos Santos, do 4° semestre, une cinema e veterinária.

“A ideia é um vlog contando a rotina de um veterinário. Nós conseguimos ir filmar em algumas clínicas e as partes internas fizemos aqui no estúdio”, explicam. “Muitas pessoas querem começar a faculdade, ou já estão cursando, mas não fazem ideia das possibilidade de atuação, nosso objetivo é esclarecer isso”, finalizam.

Vale a pena conferir: