Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 24 anos - Santos

5 comércios da Baixada Santista que se adaptaram nessa quarentena

Desde março, nós, como sociedade, descobrimos que uma pandemia é sinônimo de desafios.

Você precisa ficar em casa, lidar com home office, homeschooling, manter a saúde mental e física… Uma série de questões que antes não era tão latentes.

Se dentro de casa, na nossa vida privada, é assim, imagina só as mudanças para quem tem comércio e está há meses com as portas fechadas?

Os comércios se adaptaram nessa quarentena

O delivery passou a ser uma palavra de ordem.

Mais de 2.000 pessoas que o Juicy Santos entrevistou sobre tendências de consumo confirmam essa hipótese.

www.juicysantos.com.br - negócios que se adaptaram na quarentena

Restaurantes, em sua maioria, já tinham o serviço de entrega em casa. Mas passaram a ter 100% da operação neste estilo. Enquanto lojas de roupas, sapatos, decoração e uma infinidade de produtos tiveram que entender como trabalhar com essa modalidade.

Você já sabe disso. Acontece que alguns comércios precisaram de uma adaptação um pouco maior do que simplesmente fazer uma conta no iFood ou receber pedidos no direct. Nós selecionamos quatro para você conhecer e, quem sabe, consumir sem sair de casa.

1. Realejo Livros

Na quarentena as pessoas têm consumido mais arte – sejam filmes, música ou livros. Mas as livrarias estão de portas fechadas. José Luiz Tahan, proprietário da Realejo, decidiu criar o serviço de livreiro à domicílio.

juicysantos.com.br - Os comércios se adaptaram nessa quarentena

Em resumo, o leitor entra em contato com ele (via telefone ou internet) e pede uma sugestão de leitura. O livreiro sugere opções a partir dos gostos pessoais do cliente e, em seguida, faz as entregas.

“Entrego os livros na casa dos leitores, com a embalagem higienizada”, conta. “Dispensei todo o meu quadro de funcionários, pagando salários integrais e aguardando a passagem desse período”.

Se você gosta de ler, priorizar os pedidos da livraria em detrimento dos grandes sites é uma forma de ajudar a loja, que existe há 19 anos, a continuar após a quarentena. E, mais do que isso, a conseguir manter os funcionários em casa.

2. Barbara Padovani Parmigiani

Normalmente, Bárbara Padovani produz roupas, bolsas e carteiras personalizadas. Mas, com a quarentena, a confecção dessas peças foi interrompida. As máquinas pararam? Claro que não. Ela está fazendo máscaras de proteção para o rosto.

“Tive que me adaptar para pagar as contas. Tem havido bastante procura”, explica, relatando que mantém a renda produzindo itens estilizados para os públicos feminino, masculino e infantil. “A pessoa pede e eu adapto”.

O uso de máscaras é obrigatório em Santos, lembra? Se você quiser uma peça descolada, já sabe onde encontrar.

5. L-atitude Beer

Enquanto as casas que vendem comida tiveram uma adaptação mais simples, os locais especializado em bebidas tiveram que pensar em novas formas de vender. Além do delivery, a L-atitude Beer – que fica no Guarujá – também tem uma vaquinha virtual. Em resumo, os frequentadores do bar ajudam e recebem um voucher para consumir quando a casa voltar ao funcionamento normal.

Vários bares estão fazendo o mesmo. Você pode conferir a lista completa clicando aqui.

Para completar, também tem rolado Pedágio Solidário, no qual as pessoas fazem doação de alimentos e ganham desconto nos bebidas.

4. Cinesystem

Em Praia Grande, o Litoral Plaza Shopping organizou sessões de cinema um pouco diferentes.

www.juicysantos.com.br - cinema drive-in no litoral plaza

As exibições seguem o modelo de drive-in. Ou seja, o público assiste aos filmes de dentro do carro. Dá para comprar pipoca e até lanche do Mc Donald’s. Tudo sem ter contato externo e com toda a segurança. O projeto começou com duas sessões diárias e, dado o sucesso, teve que dobrar as exibições.

5. Ederson Santhos

Sem bares para cantor, o cantor e compositor Ederson Santhos encontrou uma forma de arrecadar fundos durante o período em que se encontra impedido de realizar apresentações públicas: uma rifa online valendo um show.

“Quando tudo isso passar, a pessoa vai ter a oportunidade de celebrar com um show. Terá uma data minha, na casa dela ou onde entender que é adequado. Pode ser até em um quintal”, diz o músico.

Assim como ele, outros talentos de Santos estão fazendo o mesmo e você pode ajudar!