Victória Silva
Texto porVictória Silva
Jornalista, 25 anos - Santos

Uma história de amor que começou no recreio do Colégio do Carmo

Colégio do Carmo, 1999.

O sinal do intervalo tocava e a turma ia correndo para o refeitório. Depois da multidão, quem continuava reparando no corredor via um casal conversando, enquanto seguia o mesmo caminho dos demais estudantes.

Eleonora Reis e Caio Freire, alunos da 7° série (atual 8° ano), eram uma dupla inseparável.

Sentavam juntos durante a aula, recreio e até trocavam de tênis, eventualmente.

“O modelo era igual, mas a cor era diferente”, lembram.

Eleonora, literalmente, roubou o amigo do irmão.

Não demorou para surgirem piadinhas sobre o possível relacionamento, que eram ignoradas pelos dois. Afinal de contas, “era só amizade”. E foi assim durante todo o período escolar.

“Começamos a nos falar novamente pela web. Quando voltei para Santos, ele foi lá em casa ajudar o meu pai com algumas configurações da internet”, lembra Eleonora que continua dizendo que eles saíram algumas vezes com a turma da escola antes de começarem um relacionamento.

eleonora e caioImagem: Raquel Sansão / Divulgação SantosPress

O sentimento, que era renegado na pré-adolescência, voltou aos corredores do colégio e, dessa vez, assumidíssimo.

Olha sorriso do casal durante a tradicional festa junina da escola!

À frente da quadrilha de ex-alunos, os apaixonados puderam provar um pouco do que está por vir, já que eles estão de casamento marcado para sábado (9 de julho).

“Foi uma delícia, praticamente um casamento antes da cerimônia. Todo esse preparo tem sido muito divertido e tranquilo, planejamos com bastante antecedência e já tínhamos comprado o apartamento e mobilado tudo”.

O primeiro sim já foi dito, com direito a vestido branco e maquiagem de caipira.

A felicidade do casal tá na cara, mas nunca é demais, né?

Desejamos toda a felicidade do mundo pra Eleonora e pro Caio, donos de uma história de amor que começou no recreio do Carmo!