Paulo Rogério
Texto porPaulo Rogério

Qual motor devo escolher na hora de comprar meu carro?

Quando alguém me pergunta qual motor e tipo de carro deve comprar (e, acreditem, isso ocorre com certa frequência), eu devolvo a pergunta sugerindo que meu interlocutor se autoquestione a respeito da necessidade que tem naquele momento.

Quem anda sozinho no carro e vez ou outra dá uma carona não precisa pagar R$ 150 mil em um SUV com sete lugares. Um compacto resolve a vida.

Situação contrária passa quem já tem uma família mais numerosa e costuma viajar com o carro cheio.

Um dos principais quesitos de quem pensa em trocar de carro ou planeja a compra do primeiro está sob os capôs dos modelos. A potência do motor e o quanto ele ‘bebe’ acabam decidindo uma aquisição. E o mercado oferece de tudo: do 1.0 litro com 77 cv de potência ao 5.0 litros e 435 galopantes (o Ford Mustang tem).

www.juicysantos.com.br - qual motor devo escolherFoto: Alessio Lin para Unsplash

Por onde você anda?

Primeiramente, vamos regionalizar a questão. Considerando a geografia da Baixada Santista, só os morros e algumas vias de São Vicente têm subidas e descidas. No mais, falamos de uma região plana.

Portanto, quem mora e trabalha na região e dificilmente sobe a Serra não precisa, na teoria, de um 1.8 ou um 2.0, a não ser que queira. Para áreas planas e o anda-e-para do trânsito (excesso de semáforos e falta de sincronia entre eles, um dia debateremos esse tema…) um 1.0 está de excelente tamanho, desde que o tamanho do carro seja o ideal para a família.

“Ah, mas o 1.0 é fraco demais, mesmo para um região plana”.

Bem, se você concorda com um amigo meu que, ao comprar um Omega 2.0 colocou um adesivo com a mensagem “Quem gosta de motorzinho é dentista”, vale dar um pulo até os motores 1.4.

Fiat Uno e Chevrolet Onix oferecem esses motores. E, no caso do representante da Chevrolet, com uma vantagem: tem versão com câmbio automático, algo que os 1.0 dificilmente trazem.

A Volkswagen acabou de levar o sistema para Gol e Voyage com esse motor. Você pode fazer o test drive em qualquer concessionária.

www.juicysantos.com.br - qual motor devo escolherFoto: Autosegredos

O meio-termo

O que vemos nas ruas da Baixada Santista são muitos modelos com motor 1.6 litro. Diria que são os mais ‘honestos’. Perfeitos para quem não quer algo tão fraco quanto os 1.0 e acha exagero um 2.0. E é um motor que ajuda a quem encara o Sistema Anchieta-Imigrantes com alguma frequência.

Consome mais combustível que os motores 1.0, mas, dependendo do carro e do motorista, não é necessário levar uma bomba de combustível junto. Lembrando que a tecnologia melhorou bastante nos últimos tempos e o menor consumo de combustível vem sendo trabalhado. Ainda defendo que a maneira de conduzir o carro determina esse consumo.

Existe ainda um meio termo, que são os motores 1.2, inventados pelos franceses do grupo PSA, que envolve Peugeot e Citroën. Peugeot 208 e Citroën C3 têm esse motor.

Passei uma semana com um 208. Peguei em São Paulo, trouxe para a Baixada, fui até Mairiporã, voltei. Depois, devolvi o veículo à Peugeot, em Santo Amaro. Havia 105 km de autonomia no dia em que entreguei sem ter abastecido durante aqueles sete dias.

Afinal de contas, qual motor devo escolher?

Só para explicar rapidamente, essa sopa de números 1.0, 1.4, 1.6, 2.0 e etc tem por base uma razão técnica.

Os motores a combustão possuem cilindros, locais onde ocorre a mistura entre ar e combustível. Esses cilindros movem os pistões, que dão a força motriz ao veículo. Um carro 1.0 tem 1 mil cilindradas, enquanto um 1.6 tem 1600 cilindradas e por aí vai. Só que, para mover 1600 cilindradas é necessária uma quantidade maior de combustível do que em 1000 cilindradas.

O mais importante na hora de decidir qual motor escolher é você ter em mãos o carro que cabe no seu gosto e no seu bolso, desde que, juntos, colaboremos para um trânsito mais humano e sustentável.

Quer saber mais sobre o universo automotivo? O Auto Aventura é um veículo especializado no tema e está sempre atualizado com novidades.