Juicy Santos
Texto porJuicy Santos
Santos

Evento de economia solidária no Sesc Santos (22 e 23 de novembro)

O SESC Santos, o Núcleo de Economia Solidária da USP e o Instituto Elos convidam para um evento sobre práticas de economia solidária neste fim de semana (22 e 23 de novembro).

O encontro reúne 8 relatos de experiências relacionadas a trabalho coletivo, geração de renda e autogestão.

Para a gestora de Realização do Instituto Elos e coordenadora do Comunidades Empreendedoras Thaís Polydoro, “o evento possibilita a soma das diferentes expertises das organizações envolvidas e nos apoia na potencialização do desenvolvimento das comunidades que já tiveram contato com a Filosofia Elos. Conhecer experiências de sucesso dá um gás aos moradores e esse encontro ainda permite a conexão com os projetos que vão se apresentar e com as outras pessoas que estarão prestigiando”.

economia-solidaria-elos

Fomento

O evento complementa as atividades do SESC no fomento à economia solidária unindo a expertise do NESOL na curadoria e a do Elos na mobilização de comunidades, o que fazemos inspirando-as a buscar o desenvolvimento a partir de seus talentos, recursos e sonhos.

Para o Elos, faz parte do calendário do programa Comunidades Empreendedoras, que tem como objetivo o desenvolvimento integrado e sustentável do território em 4 comunidades da Baixada Santista – Caminho da União e Vila Progresso, em Santos, Prainha, no Guarujá, e Guapurá, em Itanhaém.

Programação

O primeiro dia inicia com uma feira de trocas, em que você pode trazer um objeto em bom estado, plantas, receitas, ou pode ensinar algo – contar uma história, fazer um conserto, um penteado. Junto da feira de trocas, mais três relatos relacionados a processos de articulação: organização em redes, banco comunitário e um empreendimento cultural.

No segundo dia, experiências de turismo de base comunitária, cooperativa de compras, agricultura urbana e culinária.

www.juicysantos.com.br - economia solidária instituto elos

*Clube de Trocas, CEU Casa Blanca – São Paulo-SP*
A feira de trocas acontece no CEU Casa Blanca, Zona Sul de São Paulo, em um sábado por mês; sua primeira edição ocorreu em abril de 2011. Para facilitar as trocas, a feira tem uma moeda social chamada “bagatela”. O clube está fundamentado nos princípios da Economia Solidária, e, além das trocas de produtos e serviços novos e usados, incentiva a organização de empreendimentos solidários, o cooperativismo, a autogestão e estreita relações comunitárias a partir de sua organização.

*Banco Bem – Vitória-ES*
Depois de emprestar dinheiro para várias iniciativas de economia solidária no morro São Benedito, em Vitória, no Espírito Santo, um grupo produtivo de mulheres inspirou-se na experiência do Banco Palmas, do Ceará, e articulou a criação de um banco comunitário que traria um enorme bem à comunidade. Foi então que 38 artesãos juntaram-se e criaram o Banco Bem, um banco gerido pelos próprios moradores.

*Rede Industrial de Confecção Solidária – Porto Alegre-RS*
A Rede é formada por empreendimentos solidários instituições não governamentais que atuam no segmento de produção industrial em escala localizados em Porto Alegre e Região Metropolitana. Envolve principalmente mulheres de diversas faixas etárias com dificuldades de inclusão no mercado de trabalho que são o apoio financeiro da família, incluindo reeducandas e ex-reeducandas da Penitenciária Feminina Madre Pelletier. Elas cortam, costuram, planejam, fazem a gestão dos empreendimentos e garantem o controle rigoroso das peças produzidas.

*Agência Popular Solano Trindade, Jardim Maria Sampaio – São Paulo-SP*
A agência tem o objetivo de fomentar localmente a cultura popular através da viabilização financeira da produção artística da periferia, construindo estratégias de autofinanciamento e sustentabilidade econômica. Para isso, oferece o cadastramento de produtos e serviços culturais e artísticos existentes na região, atuando em três linhas principais: fomento, produção e comercialização. Para facilitar a troca de serviços culturais entre grupos e produtores, utiliza uma moeda social cultural, fortalecendo a economia local.

*Horta Semeando o Futuro, Coletivo Dedo Verde – São Paulo-SP*
O Coletivo Dedo Verde desenvolve ações educativas ligadas ao meio ambiente dentro do conceito de qualidade de vida e negócio social, implantando hortas e paredes verdes no bairro e na escola. A horta Semeando o Futuro, localizada numa área de manancial ao lado da Represa do Guarapiranga, no extremo sul de São Paulo, é um sistema agroflorestal em uma área de 300 mil metros quadrados. Desenvolve a produção de hortaliças, integrando as árvores endêmicas da Mata Atlântica como o Cambuci, a Aroeira Mansa, o Pau Brasil e o Pau Jacaré e a criação de galinha caipira. Aberta ao público aos sábados e domingos, vende cestas orgânicas, que também são entregues nas residências.

*Associação de Moradores da Prainha Branca – Guarujá-SP*
A Vila da Prainha Branca está localizada na Serra do Guararu, no Guarujá, tombada historicamente desde 1992 por considerada um bem cultural de interesse paisagístico, ambiental e científico. Sendo uma praia isolada, a procura pelo turismo é crescente. O relato busca mostrar como a mobilização coletiva pode conseguir mudanças em questões relacionadas ao turismo, mas também educação, saúde e segurança.

*Movimento de Integração Campo Cidade – São Paulo-SP*
Com 20 anos de existência, o Movimento de Integração Campo Cidade (MICC) pensa na construção de uma relação direta entre pequenos produtores familiares e consumidores, evitando atravessadores. A iniciativa estimula a organização tanto da produção quanto do consumo, contribuindo para articular movimentos rurais e urbanos pela valorização da terra e de quem nela trabalha, evidenciando sua interdependência.

*Empreendimento Café Solidário Sonhos e Sabores – Guarujá-SP*
Em 2009, a coordenadora da padaria comunitária do bairro Santa Cruz dos Navegantes foi convidada a realizar um coffee break para um grupo de executivos. Para ajudá-la, convidou mais nove mulheres do bairro para produzir pães artesanais e outros quitutes com alimentos orgânicos produzidos localmente na horta comunitária. Assim nascia o Café Solidário Sonhos e Sabores.

A programação dura das 15 às 19 horas, no Sesc Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida). Para mais informações, fale com Thaís Polydoro: [email protected] / 13 3326 4472 (Elos)

By: Mariana Felippe