Mesmo produto, marcas e preços diferentes! Fique esperto!

Ludmilla Rossi

23 de julho de 2011

Ludmilla Rossi

Veja o perfil completo >

Com o advento das fast-fashion e a explosão da China como canal de escoamento de produção, tudo parece lindo: os preços são mais baratos, a velocidade com que as novidades chegam nas lojas é maior e em alguns momentos a qualidade é compatível, resultando em mais compras, comércio feliz, consumidores e cartões de crédito alucinados.

Nesse jogo, nem tudo é vantagem: a gente sabe daquele blábláblá todo – mão-de-obra barata, muitas vezes escrava, coisas produzidas em série, commoditização, meio de produção não sustentável e etc. Preço baixo custa caro, a médio e longo prazo, e isso não é novidade para ninguém.

Existe um nó cúspide do qual falamos muito pouco também: a forma como marcas “consagradas”, que sempre foram conhecidas por oferecer qualidade, exclusividade e itens que você teoricamente só encontra ali, estão apelando para estratégias que não são lá muito legais.

Há uns 2 meses atrás fui na feira Circuito de Malhas, no espaço de eventos São Luís, perto da Av. Paulista, em São Paulo. Garimpei muito e achei 3 peças incríveis, entre elas um colete de malha com pele fake. Paguei R$ 89 pela peça.

Colete de Pele Fake, parecido com a espaço fashion
Algumas semanas depois, num sábado de junho, andando pelo shopping Morumbi também em São Paulo, passei na frente da Espaço Fashion, marca descolada (e carinha) do Rio. Olhei para vitrines e displays, quando olho para cima, em uma vitrine suspensa (onde geralmente ficam peças-conceito e mais caras) e me deparei com o que? COM O MEU COLETE QUINHENTAS VEZES MAIS VALORIZADO E GLAMOURIZADO! Sem qualquer sombra de dúvidas, era o mesmo colete, com a mesma modelagem, tão lindo quanto.

Claro que eu fiquei feliz, e me sentindo professional-buyer, mas também fico pensando na super enganação que é expor uma peça como exclusiva, selecionada e incrível, e ela também estar disponível para venda em outros lugares menos glamourosos e mais abafados.

Só que pasme, isso é muito mais comum do que parece… a Constanza do Futilish.com passou pela mesma situação duas vezes. A primeira ao comprar uma jaqueta da “Zara” infinitamente mais barata, e a outra por ter comprado uma blusa idêntica a que outra blogueira comprou na Zara. Oi, Zara? Que coisa feia hein?

Jaqueta da Zara e da Fallabela: mesmo produto, preços diferentes

E abaixo, outra blusa que a Constanza comprou, e lembrou que já tinha visto a mesma blusa por aí. Ela comprou no Chile uma blusa que a Camila Coutinho comprou na Zara da Itália! A MESMA BLUSA!


Enfim, antes de sair consumido desenfreadamente na Zara, pense duas vezes… você pode achar a mesma peça por aí, em uma loja menor por um preço muito mais barato. Nessa hora é importante escolher bem e “treinar o olhar”.

Clique aqui e veja o excelente post da Constanza.

Produtos iguais vendidos por preços diferentes, por marcas diferentes. Marcas famosas estão abusando da produção em massa, fique atento!